Pop up!

Outubro 23, 2007 | Author: Bruno Nogueira | Arquivar em: Blog

O outro post fez tanto sucesso que vou repetir a dose. De novo, a lista abaixo é um ctrl c / ctrl v do release enviado pela Tim e a Assessoria do festival. Editei apenas para tirar informações repetidas e outras que eram relativo ao show “Montage toca isso, Vanguart toca aquilo, etc”. Very British Os ingleses do Arctic Monkeys, atração da noite ‘Novo Rock UK’ do TIM Festival 2007, não negam a origem. Para o camarim pediram uma seleção de chás ingleses. As marcas preferidas do quarteto são as populares Yorkshire Tea, PG Tips e Tetley’s. Todos a serem degustados com um respingo de leite. Para acompanhar o momento, a turma solicitou que a produção do …

mkys1-3265886

O outro post fez tanto sucesso que vou repetir a dose. De novo, a lista abaixo é um ctrl c / ctrl v do release enviado pela Tim e a Assessoria do festival. Editei apenas para tirar informações repetidas e outras que eram relativo ao show “Montage toca isso, Vanguart toca aquilo, etc”.

Very British
Os ingleses do Arctic Monkeys, atração da noite ‘Novo Rock UK’ do TIM Festival 2007, não negam a origem. Para o camarim pediram uma seleção de chás ingleses. As marcas preferidas do quarteto são as populares Yorkshire Tea, PG Tips e Tetley’s. Todos a serem degustados com um respingo de leite. Para acompanhar o momento, a turma solicitou que a produção do festival providenciasse os jornais ingleses do dia.

Embrulha para viagem
O quarteto inglês Arctic Monkeys gasta muitas calorias no palco. Os músicos gostam de repor as energias com pizza. Eles solicitaram seis grandes, a serem entregues logo após cada show do TIM Festival 2007, no ônibus da banda. A saber: duas vegetarianas, uma muzzarela, duas de peperoni e uma de carne.

Típico
O Arctic Monkeys, atração do TIM Festival 2007, solicitou um item curioso para o café da manhã. Além das tradicionais baguetes, cereais, iogurtes e sucos, o quarteto pediu Marmite. A pasta de levedo para passar na torrada, amarga e salgadíssima, é uma daquelas iguarias que só sendo inglês da gema para apreciar. Difícil é encontrar o acepipe no Brasil.

Sem bebedeira
Chama atenção um dos itens do rider técnico da banda Hot Chip para sua apresentação em outubro no TIM Festival. O documento, que lista em detalhes todos os equipamentos necessários para o show, pede, em letras maiúsculas, dois assistentes de palco competentes, pontuais e… …sóbrios.

Vestido para a capa
O disco de estréia da banda cuiabana Vanguart, uma das atrações do TIM Festival este ano, traz uma surpresa logo na capa. O vocalista Hélio Flanders surge usando um vestidinho bem-comportado. A irreverência está presente também no discurso do rapaz: “É o traje típico do cuiabano, lá faz muito calor. Pode ser encontrado em qualquer loja da cidade”.

Amigas de infância
Cibelle fez questão de estender sua estadia no Brasil para prestigiar a estréia do show de Vanessa da Mata no Rio de Janeiro. As duas são tão próximas que Cibelle compôs ‘Minha Neguinha’ em homenagem à amiga e gravou em seu último cd, ‘The Shine of Dried Electric Leaves’. Para retribuir o carinho, Vanessa é presença confirmada nos shows que Cibelle fará no TIM Festival, ainda em outubro.

Orquestra de Laptops
Conhecidos por usar novidades tecnológicas em seus shows, o Projeto Axial – que vem ao Rio pela primeira vez no próximo TIM Festival – vai inovar na apresentação que fará em São Paulo, dentro de uma série de música e tecnologia. O grupo, formado por Sandra Ximenez, Felipe Julian e Leonardo Correa, convidou outros três músicos, com quem formará uma Orquestra de Laptops, com direito a sete computadores no palco. “É uma formação de câmara, nem precisa de maestro”, brinca Julian que, nos shows do Axial, pilota dois laptops, além de um baixo acústico.

Na banda, sem ser músico
Um artista plástico que não toca nenhum instrumento também faz parte do grupo paulista Projeto Axial, que se apresenta pela primeira vez no Rio na próxima edição do TIM Festival. Presente no palco o tempo todo, Edu Marin projeta imagens cenográficas, que ele chama de videocenografia, durante o espetáculo. São fotos e pequenos vídeos, em preto e branco, editadas em tempo real e dialogando com o que está sendo tocado no palco.

Laptops e música étnica
Apesar de toda a tecnologia que cerca as apresentações do Projeto Axial – com direito a três laptops no palco-, a inspiração da vocalista e compositora do grupo, Sandra Ximenez, vem da música tradicional. Há 20 anos, ela desenvolve uma pesquisa sobre música étnica africana e suas variações brasileiras. Nos shows, Sandra canta em iorubá e creol do Haiti. Atração da próxima edição do TIM Festival, quando vem ao Rio pela primeira vez, o grupo também usa em suas letras a poesia de Guimarães Rosa e Manoel de Barros.

top_article_div-5062275

Random Posts

  • Blog – Pop up!

    Entrevista: Coquetel Molotov By: Bruno Nogueira on: Sep 1,2006 In: Blog Nos próximos dias 1 e 2 de setembro, acontece […]

  • Melhor e pior do ano: Nordeste – Pop up!

    Na sequência da retrospectiva da coluna. Quem curte as novas bandas independentes do país, pode se lamentar de ter pedido […]

  • Operação intervenção « Pop up!

    Da coluna Ressaca. Publicada no site Giro Cultural Outro dia eu escutava um sampler da música “Imagine”, de John Lennon, […]

  • Pop up!

    Setembro 28, 2007 | Author: Bruno Nogueira | Arquivar em: Discos Um dos principais lançamentos que a Monstro Disco desse […]