Prêmio Tim escolhe melhores do ano – Pop up!

 

RIO DE JANEIRO – O Prêmio Tim de Música escolheu, na última terça-feira, em cerimônia no Teatro Municipal do Rio de Janeiro, seus favoritos do ano na música brasileira em 37 categorias. Nesta edição, o principal destaque foi para o Nordeste, presente em quase todos os finalistas, aparecendo como principal fonte criativa do país. Pernambuco participou em 11 destas, sendo a maioria na categoria “Regional” (veja vencedores no box ao lado). A noite também reservou espaço para uma homenagem ao interprete Jair Rodrigues.

Os eventos no Teatro Municipal sempre têm um “quê” de Hollywood. Aglomerado de pessoas na entrada, tentando se aproximar um pouco dos artistas que passam pelo tapete vermelho. Tonelada de flashs de fotografias que registram cada passo, sorriso, olhar e suspiro de globais, músicos e aqueles famosos que algum dia você tinha certeza que sabia o que eles faziam.

O começo pontual, às 21h30, foi marcado por uma lembrança ao recém-falecido ator Raul Cortez. Otávio Mesquita e Camila Pitanga, os apresentadores da premiação, lembraram ao público que o ex-ator da Rede Globo foi o primeiro a atuar como ancora em uma premiação de música. Logo em seguida, anunciaram também as razões para a comissão do prêmio escolher homenagear a carreira dinâmica e plural de Jair Rodrigues.

Premiações sempre têm uma estranha atmosfera “careta”. Todos esperam que seja um processo longo, burocrático e, no mínimo, pedante. O Prêmio Tim de música surpreendeu bastante indo no exato caminho contrário disso. Foi bastante rápido, “feito caldo-de-cana”, como gostam de falar. Seis apresentações intercalaram o anuncio dos vencedores, que eram dito todos de uma vez por categorias. Eles subiam, recebiam o prêmio, os aplausos e pronto.

O mote dos shows era a homenagem a Jair Rodrigues. Quem abriu a noite foi Tony Garrido com Luciana Mello – filha de Jair – cantando “Quem te viu, Quem te vê” – aquela que canta “Hoje o Samba Saiu / Laiá, laia”. Até o fim da noite subiram também no palco a dupla Chitãozinho e Chororó, o rapper Rappin’Hood, um coletivo de vários sambistas da velha e nova guarda e o músico Lulu Santos.

Foi de uma sensibilidade – e acerto – enorme, da produção a sacada de colocar uma música com Jair Oliveira e Simoninha. Era o momento da transição da música popular brasileira acontecendo ali mesmo no palco. Os filhos de Jair Rodrigues e Wilson Simonal estabeleciam esse momento do novo, cantando “Fica mal com Deus”. Da platéia, o dono da noite era só sorrisos e abraços.

Lulu Santos mostrou como leva a sério essa história de rei do pop. Subiu para cantar “Deixa isso pra lá”, numa performance que era super divertida, de tão brega. Uma mistura quase antropofágica de gêneros, que ia do funk ao bolero, acompanhado por crianças, adolescentes e adultos que faziam a dança que fez o sucesso de Jair Rodrigues. Mão para cima, mão para baixo, “eu não to fazendo nada, você também…”.

Como todo prêmio, o da Tim também não é impecável. Tem seus poréms, como a categoria Pop / Rock, que poderia ser repensada. O gênero mais problemático da música brasileira é muito melhor representado hoje por uma infinidade de bandas e músicos, e não pelo Barão Vermelho. Por ser também o gênero mais premiado, poderiam até acatar a sugestão de deixar ele de fora, já que o Prêmio Tim fez muito bem o trabalho de legitimar a carreira de artistas em praticamente todas as outras categorias.

:: Vencedores 

Categoria Arranjador – Rildo Hora, por “À Vera”, com Zeca Pagodinho

Categoria Canção – “Rio de Sonho” de Dominguinhos e Wally Bianchi

Categoria Projeto Visual – Disco “Ode Descontínua e Remota para Flauta e Oboé de Ariana para Dionísio”, de Olga Bllenky e Mora Fuentes

Categoria revelação – Spok Frevo Orquestra

Categoria canção popular
Melhor Disco – “Ao Vivo”, com Kleiton & Kledir Melhor Dupla – Zezé di Camargo & Luciano Melhor Grupo – A Cor do Som Melhor Cantor – Roberto Carlos

Melhor Cantora – Gil

Categoria Instrumental Melhor Disco – “Jet Samba”, de Marcos Valle Melhor Solista – Sivuca

Melhor Grupo – Banda Mantiqueira

Categoria MPB
Melhor Disco – “Que Falta Você me Faz”, de Maria Bethânia Melhor Grupo – Barbatuques Melhor Cantor – Ney Matogrosso

Melhor Cantora – Maria Bethânia

Categoria Pop Rock Melhor disco – “Pré-pós-tudo-bossa-band”, de Zélia Duncan Melhor grupo – Barão Vermelho Melhor Cantor – Lulu Santos

Melhor Cantora – Zélia Duncan

Categoria Regional
Melhor Disco – “Nove de Frevereiro”, de Antonio Nóbrega Melhor Dupla – Elba Ramalho & Dominguinhos Melhor Grupo – Forróçacana Melhor Cantor – Silvério Pessoa

Melhor Cantora – Daniela Mercury

Categoria Samba Melhor Disco – “À Vera”, de Zeca Pagodinho Melhor Grupo – Arranco da Varsóvia Melhor Cantor – Zeca Pagodinho

Melhor Cantora – Alcione

Categoria Especial
DVD – “Tempo, tempo, tempo, tempo”, de Maria Bethânia Melhor Disco de Língua Estrangeira – “Tango”, de Bibi Ferreira e Miguel Proença Melhor Disco Erudito – “Orquestra Acadêmica”, de Orquestra Acadêmica Melhor Disco Infantil – “Pé com Pé”, de Sandra Peres e Paulo Tatit Melhor Disco Projeto Especial – Mario Adnet e Zé Nogueira

Melhor Disco Eletrônico – “Aparelhagem”, DJ Dolores

Voto Popular Melhor Cantor – Jorge Vercilo

Melhor Cantora – Daniela Mercury

  • Pernambuco no Prêmio Tim de MúsicaO Prêmio Tim de Música divulgou, semana passada, os 104 finalistas de sua quarta edição. O Nordeste foi a região com mais participantes no evento, sendo 17 indicações – de um total de 35 – todas do estado de Pernambuco. Os vencedores serão anunciados em cerimônia na noite de 25…
  • Indicados ao prêmio DynamiteEsse ano o Pop up ficou de fora (concorri em melhor veículo online ano passado, qdo era Prêmio Toddy). Mas o incrível mesmo é como eles sempre conseguem escolher uma banda que já acabou (Quarto das Cinzas), uma revista fora de publicação (Bizz) ou esquecer uma banda como o Macaco…
  • Melhores do anoLuciano Matos está fazendo um Top 5 geralzão com jornalistas para postar em seu blog. Saca o papo que rolou no msn hoje cedo: Luciano – de segunda a quinta Jam Session na A Tarde FM 103,9 diz: opa, ja te pedi uma ista dos 5 melhores discos e musicas…
  • Os melhores segundo a APCAA Associação Paulista de Críticos de Arte escolheu seus melhores do ano. Abaixo, vai a lista dos melhores em Música Popular Brasileira. Eu discordo do Cê e da Erika Machado. Mas principalmente, discordo do Bonde do Rolê. Foi, de longe, um dos piores shows que eu vi durante todo o…
  • Enquanto o Tim não chega A assessoria de imprensa do Tim Festival é uma das mais legais de todas. Sabe o quanto queremos saber das loucuras de quem vem tocar e, por isso mesmo, todos os anos, manda para os jornais algumas notas sobre as exigências dos músicos. Confere ai um ctrl+c / ctrl+v…

Random Posts