The Playboys – Chega de Niilismo – Pop up!

playboys-4934771

Eu sempre vou ter dificuldade ao situar o The Playboys em um contexto específico das cenas de Recife. Eles datam daquela época esquisita das bandas de colégio quando eu estava no colégio, tocando em shows com os extintos a longo tempo Malkavianos e Jack in the Box, até criando contato com uma geração seguinte, com a Play Damião (que mais tarde se transformaria na Mombojó). Era um tempo em que punk rock parecia algo realmente sério na cidade e, daquela turma, eles começaram a aparecer nos panfletos com o Fogo Morto e Proletários, naquelas tardes esquisitas em que o Galetus Bar (que mais tarde se transformaria no Garagem) se divida entre shows, mostras de fanzine e bate papos sobre comunismo e fanzine (!!).

E mesmo remetendo a o que agora já é tanto tempo, eles continuam uma banda contemporânea. Foram por um tempo o suporte aos shows de Wander Wildner no Recife, fizeram história com o hit “Paulo André não me Ouve” e até entraram na lista de apelos de Lúcio Ribeiro por uma escalação no Tim Festival. Não chegou a tanto e durante esse período seguiram a risca do agir localmente e pensar globalmente. Cantaram sobre coisas tão particulares do Recife, como as garotas do Burburinho e o próprio produtor do Abril Pro Rock, que foram compreendidos em todo o país.

Agora eles lançam um disco novo chamado “Chega de Niislismo“. Não traz tantas novidades assim, mas registra oficialmente algumas músicas que aparecem em seus shows já algum tempo. Particularmente, senti falta de mais letras de João Neto, que é de longe um dos compositores mais inteligentes do rock pernambucano. Reflexo do momento da banda, já que ele está morando em São Paulo terminando um doutorado em Filosofia (pode ser mestrado e eu me confundi). Tem participação de Wander.

Mas, mesmo nas antigas, os Playboys continuam contemporâneos. Eles disponibilizaram tudo para download no site oficial da banda. Ou você pode pegar o disco aqui mesmo.

The Playboys – Chega de Niilismo Downloads: 1200

O link vai para o site do Playboys. Não estou hospedando o arquivo (já avisando, caso eventualmente o link pare de funcionar)

  • Enquanto o Tim não chega A assessoria de imprensa do Tim Festival é uma das mais legais de todas. Sabe o quanto queremos saber das loucuras de quem vem tocar e, por isso mesmo, todos os anos, manda para os jornais algumas notas sobre as exigências dos músicos. Confere ai um ctrl+c / ctrl+v…
  • Moptop – Como se comportar Talvez o amadurecimento não devesse ser um tema tão recorrente ao se falar de segundos discos. Fico pensando o quanto já não me repeti puxando o assunto por esse mesmo gancho. E agora, ouvindo o segundo disco do Moptop pela sei lá quantas vezes, me pergunto se não devia…
  • Números para quem precisaO Ibope divulgou semana passada uma pesquisa realizada em julho sobre o perfil do internauta no Brasil. Surpreendentemente, passamos mais tempo conectados em casa que os Estados Unidos (segundo lugar) e que o Japão (terceiro). Basta somar 1+1 com outra pesquisa, esta realizada pelo Ipea, que diz que, no nosso…
  • Rádio de Outono Disco de estréia da banda de Recife de pop rock sem guitarras. Diferente dos palcos, o primeiro CD vem cheio de efeitos para reforçar o efeito chiclete das músicas…
  • The Dead Rocks – Million Dollar Surf Band Você não precisa gostar de ir a praia, ou mesmo de surfar, para gostar de surf music. Essa é uma das verdades inalienáveis da música pop que se confirmam sempre na cena de abertura de um filme como Pulp Fuction ou em um disco como esse do Dead Rocks….

Random Posts

  • E mais festival! – Pop up!

    Só que não agora… os meses de junho e julho dão uma trégua, pelo menos nos maiores. O que é […]

  • Pop up!

    29 Abril, 2007 29 Abril, 2007 29 Abril, 2007 26 Abril, 2007 25 Abril, 2007 24 Abril, 2007 21 Abril, […]

  • Caras dessa idade… « Pop up!

    Acabou a primeira turnê que o Panço fez para lançar o novo livro “Caras dessa idade já não lêem manuais“. […]

  • Mais turnês pelo interior « Pop up!

    Já começou outra turnê da Tronco Produções pelo interior de São Paulo. Lembra, né? Aquela que o Eduardo Ramos falou […]