Pop up! » Arquivo » Academia da Berlinda

[rating:4/5]

Pernambuco já pode começar a falar em disco do ano. Tudo graças ao “trabalho de estréia” da Academia da Berlinda, reunião de amigos que tem tatuado no DNA os códigos genéticos das melhores bandas da cidade. Mundo Livre S/A, Eddie, A Roda e Nação Zumbi, de alguma forma, se encontram todos na força motor de músicas que misturam carimbó, rumbas e merengues em canções autorais. O resultado é um disco homônimo que dá gosto de ouvir.

Trabalho de estréia está entre aspas porque a Academia já existe desde 2004. Começou com a pouca pretensão de animar os bailes e festas, com novas versões para antigos bregas. Sem pressa, a banda conseguiu ganhar a noção do que precisava e deveria ser feito com a música. A Academia hoje é formada por Hugo Gila (ex-Variant TL), Tom Rocha (Mundo Livre S/A), Gabriel (DJ Dolores e Aparelhagem), Urêa (Eddie), Tiné, Irandê e Yuri.

No disco de estréia estão participações de China, Fred 04, Jorge DuPeixe (que também fez a capa), Edinho Jacaré, Maria Laurentino, Juliano Holanda e o DJ Bruno Pedrosa. No vocabulário popular, a berlinda virou destino ingrato dos infortunados. Mas a palavra tem origem numa elegante carruagem alemã do século XVII e, com ou sem intenção dos mesmos, a referência é perfeita. As músicas, além de elegância, têm charme próprio.

A banda traz um discurso em seus textos, questionando a presença de classes na música. Pergunta que eles respondem acrescentando sofisticação a harmonias populares. Trilha sonora para o melhor baile, “Academia da Berlinda”, música que batiza a banda e disco é contagiante e viciante. Junta com “Envernizado”, que tem participação de Jorge DuPeixe (Nação Zumbi) e “O Sonho e a Dor”, formam a santíssima trindade de trabalho.

Existe um indescritível universo de sonoridades, imagens e referencias sociais quase místicas na música de Pernambuco. Algo que se procura nas bandas, sem saber ao certo onde apontar. “Academia da Berlinda”, o disco, é nossa tecla SAP. Destrinchando suas referências, funciona como um mapa, apontado para várias possibilidades da criação musical tanto de Recife quanto Olinda.

Degustar a Academia da Berlinda é fácil. Além do disco a venda, existe cerca de seis músicas da banda disponíveis para download na Internet. Uma parte está na página do grupo da rede social MySpace, no endereço www.myspace.com/academiadaberlinda e outras no site PalcoMP3. Com o preço acessível (entre R$ 13 e R$ 15, dependendo de onde comprado), a primeira experiência virtual é motivação certa para comprar o disco físico. O formato do CD, lembrando um vinil, só completa o pacote.

Esse texto foi publicado no dia 23rd August, 2007 na seção Discos. Você pode acompanhar a discussão pelo feed RSS 2.0. Você pode deixar um comentário, ou fazer um trackback em seu site.

Random Posts