Amadorismo dá o tom do Mada 2005 « Pop up!

NATAL – Se para o festival Mada, a música é o alimento da alma, muita gente encerrou a maratona de três dias de show com fome, muita fome. Depois de 23 bandas independentes passarem pelos palcos com a enorme responsabilidade que é reunir um público estimado em 15 mil pessoas (todas interessadas apenas na atração final da noite), a sensação final é de que o conceito de qualidade precisa começar a ser nivelado por baixo.

Ao contrário da edição do ano anterior, que revelou muitas promessas para o rock nacional como o Gram, as bandas de 2005 mostraram que chegou a alta estação da entressafra para os talentos da música. Apresentações cheias de erros de continuidade, desafinos e pouca presença de palco deram o tom amador deste ano. Dos três dias, apenas quatro nomes merecem ser guardados para posteridade.

Na quinta-feira, Zackarias Nepomuceno, da Paraíba. A sexta-feira, que veio para salvar o festival com excelentes apresentações do Planet Hemp, Mundo Livre e Astronautas, também apresentou duas boas promessas: a banda punk paulista Luxúria, que sem medo de tocar cover do Ramones conquistou o público e a baiana Ronei Jorge e os Ladrões de Bicicletas. No encerramento, Columbia mostrou um pop rock melancólico que fica entre o Ludov e Leela, mas com identidade bem mais forte. Boa aposta para uma futura presença no domingo do Abril pro Rock 2006.

Depois de um mês de chuva intensa em Natal, o clima parecia ter dado uma trégua para o evento. Mas, quem acompanha a carreira do Mundo Livre S/A, sabe que apenas o Cordel do Fogo Encantado exerce mais poder sobre as águas do céu que eles. Mesmo com a falha de começar o repertório com uma música inédita e, em seguida, três pouco agitadas, a banda recifense conseguiu, debaixo de uma chuva forte, manter público de 500 pessoas (e crescendo), já cansadas do longo show do Planet Hemp até às 4 horas da manhã. O público de Natal corre o risco de ter sido o último a ver uma apresentação dos rappers. Logo após o show, durante uma entrevista para o canal a cabo Multi Show, o vocalista principal Marcelo D2 garantiu que a banda estava, definitivamente, encerrada. O segundo vocal, B Negão, não confirmava, mas afirmava apenas que “para mim, foi o último show. Não toco mais com Planet”.

Parece fácil para um jornal de Pernambuco dizer que as bandas do estado fizeram os melhores shows, mas o canal MTV serviu de álibi no sábado, quando fez uma entrevista com a banda Rádio de Outono. Não fosse suficiente, até esticou para uma brincadeira com o tecladista Juliano, em Natal, emprestado da Parafusa. A postura profissional até mesmo da parte do The Playboys conseguiu garantir um destaque merecido no evento.

As pessoas envolvidas com o Mada que tem contato com a imprensa fazem uma questão constante de comparar o evento ao Abril pro Rock. Conseguiram, no sábado, um trunfo financeiro impressionante. O festival conseguiu reunir, no show do Paralamas do Sucesso, público de 12 mil pessoas. A arena do Imirá, na orla de Natal, ficou lotada de uma ponta a outra. Uma organização que deixa bem pouco a desejar, o Mada começa a conquistar espaço entre os festivais mais importantes do País. Segue um caminho que deveria servir de exemplo para o Recife, dando atenção a uma programação centrada no seu contexto geográfico: a população local e não para atrair pessoas de regiões vizinhas ou, mais complicado, do País.

Publicado originalmente em 30.05.05

Random Posts