Paradão do camelô « Pop up!

Todos os meses, a Associação Brasileira de Produtores de Discos (ABPD) envia para a imprensa e gravadoras um relatório dos CDs mais vendidos em território nacional. Paralelamente as principais lojas do país também divulgam suas próprias listas, como um guia para os clientes interessados. Bem distante da realidade do consumidor brasileiro, as primeiras posições são ocupadas por produtos com valor entre R$ 200,00 e R$ 40,00. A Folha de Pernambuco fez uma comparação dessas listas com outra bem mais polêmica e acessível ao público. A das carrocinhas de CD’s piratas no centro do Recife.

“Você quer saber isso mesmo? Porque isso aqui é ilegal”, disse espantada uma vendedora entrevistada. A reação mostra que as gravadoras travam hoje uma batalha. Um comprador da mesma carrocinha entrou na conversa defendendo sua posição, “Você devia colocar lá que é para eles venderem disco mais barato. A gente quer comprar disco hoje e não pode, porque custam em média R$ 40,00”.

Assim como na ABPD, a relação de vendas dos camelôs é nacional. Mas, existem diferenças grandes, sendo o maior destaque a presença de bandas locais lado a lado. O motivo é o perfil do público, já que nas lojas predomina consumidores de classe A e B, enquanto nas carroças atrai público B e C. O volume de vendas é o mesmo de uma loja de médio porte. Os piratas também recebem extensas listas de encomendas.

Por outro lado, o gosto popular está bem distante da classe média alta. De 16 vendedores de ruas entrevistados, todos concordam com o número um da lista, “Á Vera”, novo disco de Zeca Pagodinho. Com preço médio de R$ 32, sequer aparece na lista das vendas em lojas. O perfil de quem compra discos originais hoje se reflete no terceiro mais vendido nas lojas, uma coleção com 12 CDs da década de 70 de Roberto Carlos, com preço médio de R$ 280,00. São os produtos mais vendidos que também ficam expostos na vitrine, em casos como esses, até intimidando a entrada do cliente que pode encontrar produtos mais acessíveis.

A maior surpresa da lista fica mesmo a cargo das bandas locais, esquecidas no comércio. Muitas vezes, dependendo dessa relação oficial para conseguir conquistar o espaço merecido nas rádios, elas já podem começar a pensar em maneiras mais criativas de fazer seus lançamentos chegarem a população. Um que já tomou a iniciativa foi Arnaldo Batista, que passou a fazer pequenos shows no centro do Recife para ajudar na venda dos discos.

Top 10 dos camelôs

  1. Zeca Pagodinho
  2. Calcinha Preta
  3. Alcione
  4. Trio Nordestino
  5. Cavaleiros do Forró
  6. Ana Carolina
  7. Rock Internacional de Novelas
  8. Zezé di Camargo & Luciano
  9. Limão com Mel
  10. Simple Red

Top 10 ABDP / Lojas

  1. Maria Bethania
  2. Tom Zé
  3. Pra Sempre – Década de 70 – Roberto Carlos
  4. Skank
  5. Tom Jobim
  6. Adriana Calcanhoto
  7. Zezé di Camargo & Luciano
  8. Placebo
  9. Jack Johnson
  10. Zeca Pagodinho

Random Posts

  • Sweet Fanny Adams em Nova York « Pop up!

    Uma das bandas favoritas aqui do Pop up está de malas prontas para se apresentar pela primeira vez em Nova […]

  • Pop up!

    23 Agosto, 2007 21 Agosto, 2007 21 Agosto, 2007 14 Agosto, 2007 12 Agosto, 2007 11 Agosto, 2007 11 Agosto, […]

  • Pop up!

    23 Agosto, 2007 21 Agosto, 2007 21 Agosto, 2007 14 Agosto, 2007 12 Agosto, 2007 11 Agosto, 2007 11 Agosto, […]

  • Pop up!

    Da coluna Ressaca. Publicada no site Giro Cultural Fui ameaçado de morte semana passada. Pense numa semana complicada. Começou num […]