Abril pro Rock 2007 – Segunda noite « Pop up!

A teoria de que o terceiro palco era o melhor espaço para surpresas continuou. Abrindo a noite, o Rabujos mostrou a força da cena hardcore do Recife. Compareceram em peso, criando uma grande público – e uma grande roda de pogo – ainda sob o pouco sol das 17h30. Show mais alto e mais instigante de toda noite. Uma noite que contou com lendas no palco principal. Só foi desnecessário o discurso de que a cena hardcore não precisava do Abril pro Rock, porque já tinha conquistado seus próprios espaços. O espanto e boa impressão que deram a tanta gente que ainda nem conhecia o Rabujos mostrou como um evento desse porte é necessário.

Quando fui conversar com o vocalista, pelo menos umas três ou quatro pessoas estavam pegando o endereço do mySpace para conhecer melhor a banda. Isso só naquele momento. O fato é que a cena hardcore atinge o público hardcore. O festival existe para agregar públicos. Com certeza bons fãs de metal devem ter ficado atentos – se foram espertos – ao som do Rabujos e agora vão poder ir atrás da banda. Não pode pensar que o Abril é o único fim para o rock local. É só mais um email para ela circular.

Também local, a Fiddy trouxe uma boa contestação ao público do metal. Sempre em clima de brincadeira, causaram o franzir de testa e desgosto nos mais velhos, que literalmente ignoravam que de espetáculo os meninos entendem. Jogaram pirulitos, tiraram a maior onda e se deram bem no que diz respeito a segurar o público na frente do palco. Animaram todos que estavam atentos. Ambas causaram tão boa impressão que o palco 2, neste sábado, passou batido. Dance of Days e Udora mostraram que o público emo do Recife ainda é pequeno – e bem entediado! – para um festival. Junto com o punk rock do Carbona – melhor apresentação daquele palco – acabaram agregando pouco. Esta última encarou a tarefa mais injusta, que era tocar depois de Marky Ramone e antes do Sepultura. Pense na responsabilidade disso =)

Essa dispersão das bandas intermediárias tinha um motivo. Uma lenda do rock andava entre os recifenses no sábado do Abril pro Rock. O Tequila Baby, de Porto Alegre, fez a honra de instigar todos para a chegada de Marky Ramone, baterista da hoje extinta Ramones. Antes de subir, o vocalista Duda Calvin deu a declaração mais acertada. Disse que “se não tivesse Internet, acho que não existiria mais música no Brasil“. Recado dado, depois de um breve susto da produção, que anunciou a banda errada, Mark y subiu acompanhado de um balão de ar (referência a Joey Ramone que os fãs mais fiéis devem ter notado), conversou com o público e assumiu seu posto na bateria. Momento histórico com o repertório clássico do Ramones. Por um breve instante, era como se os próprios estivessem ali no palco.

O show teve participação especial de João Gordo, que momentos antes tinha feito também uma ótima apresentação do Ratos de Porão. Não parece ter tempo ruim para a banda, que nunca deixou a desejar em nenhuma visita que fez ao Recife. Diferente do Sepultura, numa postura mais técnica, com a falta irreparável de Iggor Cavalera, acabou perdendo até um pouco do público da noite. Show curto, burocrático e injusto para encerrar uma noite tão importante como essa.

O show teve participação especial de João Gordo, que momentos antes tinha feito também a melhor apresentação da noite com o Ratos de Porão. Não parece ter tempo ruim para a banda, que nunca deixou a desejar em nenhuma visita que fez ao Recife. Diferente do Sepultura, numa postura mais técnica, com a falta irreparável de Iggor Cavalera, mesmo com um baterista tecnicamente melhor, acabou perdendo até um pouco do público da noite. Show curto, burocrático e injusto para encerrar uma noite tão importante como essa.

Me abstenho comentar o Korzus porque não sou profundo conhecedor de metal. Me resumo a dizer que o baterista da banda me deixou de queicho caído e que os velhinhos tem uma energia desgraçada no palco. Se eu fosse bater cabeça na metade da velocidade que eles fazem ao mesmo tempo que tocam e canto, certamente quebraria o pescoço umas três vezes seguidas antes de morrer! =P Exagero a parte, acompanhei tudo ao lado de colegas fãs da banda e um deles, agora sem exagero, até chorou.

E só para competir, também não contive a lágrima ao ver o show de Marky Ramone quase ao lado dele =)

Foto de Costa Neto, infelizmente com todos os direitos reservados nessa ai

Random Posts