Cuidado com o que deseja « Pop up!

“Não sei porque tanta crítica a Mallu. Se não me engano um dos maiores discursos desse ‘novos tempos da música’ é o fato da internet ser o “canal de divulgação alternativa já que os grandes veículos não abrem as portas’, então por esse ângulo deveriamos estar festejanto o ‘caso Mallu’, pois se conseguiu através da net uma alcance inacreditável para um trabalho Indie. Mas parace que é necessário ter um limite para esse alcance, pois se for demais, fere o prinicipio básico do “universo indie” , que é ficar sempre para um público restrito e participar ativamete das lamentaçoes de não ter espaço algum e fazer coro do descontentameto por não ter indies nos veículos de massa, pois assim fica mais facil estar sempre criticando tudo e a todos.”

Jomardo Jomas, produtor do festival Mada.

E digo mais… O mimimi não é apenas por que o gueto foi exposto. Mas porque mais uma vez a bomba explodiu para o lado onde não estava olhando. A frase acima vem de um debate em outro contexto. Mallu ganhou a mídia, o etc, mas agora está ganhando também os festivais independentes. E ai vem a questão: eles estão abrindo espaço para alguém que vem de cima, ou dando sequência ao apoio para quem vem de baixo?

Resposta a parte, ela reforça o coro que “a nova música brasileira” é muito mais difícil de se mapear que se imagina. E assim como Cansei de Ser Sexy, Bonde do Rolê e, forçando um pouco a barra, até o Moptop, o maquinário independente tem tido muito pouco poder revelador para novos talentos. Pelo menos em termos pop.

Random Posts