InCité teve Lenine de classe « Pop up!

Na entrada do Centro de Convenções, às 21h, quando devia estar começando o show de Lenine, a fila para entrar no Teatro Guararapes ainda fazia curva, ocupava toda a vista do lugar. No guichê, uma mãe ansiosa tenta falar com a produção do evento. “Minha filha não pode vir porque tem apenas seis anos, mas ela é fã de Lenine e escreveu essa carta, por favor entreguem a ele”. Foi o clima que marcou a noite que trouxe cerca de 2.300 fãs para assistir ao “InCité”, até então inédito na cidade.

Para o Recife, o show foi tocado uma escala acima do que é apresentado no DVD, mas uma abaixo dos shows que Lenine costuma fazer aqui. Ou seja, um pouco mais agitado, mas ainda contido, para segurar a vontade de dançar do público que precisou ficar sentado. Mesmo assim, as cabeças mexiam junto com a pequena luz azul das câmeras digitais e celulares que tentavam fotografar o ídolo.

Foi uma oportunidade de ver Lenine numa apresentação quase orquestrada. “InCité” é um show bastante coreografado, até os passos e danças que faz na música lembram o DVD. Bem afinado também, que contagiou o público. Na segunda música, “Rosebud”, todos cantavam em coro, e no tom certo, os versos “dolores / dolores / dólares”. Tudo se completa no jogo de luz e cenário que é criado no palco, por si só um show à parte.

Momento exclusivo local, Lula Queiroga subiu ao palco para cantar a música que fez em parceria com o amigo. “Sob o mesmo céu”, um quase-mote do Ano do Brasil na França, é um rock lento, de violões dando ritmo no mesmo tempo da percussão. Na letra, úne origem e destino sócio-cultural brasileiro nos versos “com quantos Brasis se faz um Brasil?”. Apesar da energia contagiante de Lula, que não pára de pular e correr no palco, sua voz saiu baixa, quase inaudível.

O ponto alto do show foi depois do encerramento falso de praxe. Lenine retorna e canta “Leão do Norte” e “Já que sou Brasileiro” para um público de pé, dançando sem se preocupar com as cadeiras, participativo e cúmplice do momento único. Agora, “InCité” volta para sua origem, a cidade de Paris, onde segue em turnê pela Europa.

Publicado originalmente em 03.09.05

Random Posts

  • Pop up! » Arquivo » Rede Música Brasil

    Apesar de ser o maior setor de produção cultural do país, a música nunca foi o exemplo mais organizado. Ao […]

  • Forró « Pop up!

    Aug 08, 2008 3 Comentários topsyWidgetPreload({ “url”: “http%3A%2F%2Fwww.popup.mus.br%2F2008%2F08%2F08%2Fe-preciso-urbanizar-o-forro%2F”, “style”: “big”, “title”: “\\\”É preciso urbanizar o forró\\\” ##popup” }); Não precisa […]

  • editorial « Pop up!

    Aug 19, 2009 2 Comentários Existe uma regra geral na música brasileira que manda você desconfiar, o máximo possível, de […]

  • Entrevista – Talles Lopes « Pop up!

    Talles Lopes, o novo presidente da Abrafin A Associação Brasileira dos Festivais Independentes (Abrafin) tem uma nova gestão, pela primeira […]