O Quartel General do Samba « Pop up!

“Aqui o negócio é participar”. Na terra do frevo e maracatu, não se engane, todo dia é dia de samba. Ali, por trás da Secretaria de Educação e Cultura, no centro da cidade, o Pagode do Didi é ponto certo de quem tem samba no pé e no “fraseado” há 24 anos. Perto de completar um quarto de século, a casa abriga uma figura de mala e terno, ou chinelo e camiseta, todos sob o mesmo ritmo. Quem dá as boas vindas é Carlinhos, 38 anos, filho de Didi, hoje mestre de cerimônias da noite. Tem gente até onde a vista alcança, suficiente para não negar que é no Recife que está a segunda maior roda de samba do País, legitimado pela Fundação de Cultura do Rio de Janeiro.

Por trás do balcão pequeno, na barzinho que serve de quartel general, Didi corre preocupado no espaço curto. De lá, ele não faz idéia, mas já imagina que as duas ruas que cruzam a casa estão lotadas. “Todo sambista de fora quando vêm para o Recife, faz questão de visitar o pagode”. Não tem confusão no nome não. Na tradição que nasceu na Vila de Santa Isabel, pagode não é gênero e sim o nome do lugar onde tem a roda de samba. No Pagode do Didi, a trilha sonora vai da velha guarda ao romantismo moderno.

“Cada dia tem um tema diferente. Segunda é o pagode da sopa; terça o pagode dos amigos;quarta o da tradição; quinta o das mulheres; sexta é o “point” do samba e no sábado o pagode da velha guarda”, enumera Carlinhos. Ele é o principal porta voz, enquanto Didi coordena a cozinha para garantir que não falte cerveja, que está sempre gelada. A apoteose acontece no dia do “point”, a sexta-feira, quando às 19h encerra o expediente e todo mundo segue direto para lá.

“Todo mundo pode chegar aqui na roda, pegar um instrumento e entrar no ritmo”. Carlinhos não esconde o orgulho que sente pela iniciativa do pai. “O pessoal pede muita dica para ele, que ensina a tocar alguma coisa, como fazer do jeito certo. A gente já tirou muita gente da rua que tava perdido e deu uma oportunidade aqui na roda”. O reconhecimento é tanto que uma loja especializada em instrumentos já garante um suprimento de cordas e manutenção da mesa de som. Tudo profissional.

O Pagode do Didi tem seu hall na fama injustamente retratado por um pequeno quadro de fotos num canto da parede. Bezerra da Silva, Zeca Pagodinho, Leci Brandão, Beth Carvalho e o grupo Fundo de Quintal são a linha de frente de medalhões do samba que, quando estiveram no Recife, fizeram questão de fazer uma parada lá. “Bezerra da Silva morava perto, vinha aqui várias vezes”, lembra Carlinhos.

A energia da casa é muito forte. Já tiveram um jornalzinho informativo, que circulava toda quinzena entre os clientes do bar. Próxima quinta, ela será sede da primeira reunião para formar a Associação dos Pagodes de Pernambuco e, se não perder o ritmo, lança em janeiro um CD com músicas de artistas que começaram lá e hoje são famosos. “Apesar do reconhecimento dado pela Fundação de Cultura do Rio de Janeiro, a gente tem muito pouco apoio do governo daqui, por isso tem que fazer as coisas um pouco devagar”, lamenta Carlinhos.

Os clientes mais atentos já notaram que, logo ao lado da roda de samba, uma faixa convida “visite o nosso site”. O Pagode do Didi já é dono de um espaço muito bem articulado na Internet. Design simples e bem funcional, vem com 15 seções que, por sua vez, dão mais opções ao navegante. Sem exagero, tem de tudo. De piadas e charges (dos funcionários e clientes), o site tem o cardápio do bar, informações sobre os funcionários e até músicas para download.

Quem visita o Pagode do Didi pode também ser fotografado por alguém da casa e entrar num álbum de foto específico de cada noite, igual outros sites que fazem cobertura de festas. Quem mantém o site é  Carlinhos, filho de Didi. “Uma empresa fez pra gente e ensinou como atualizar de casa. Sempre tem coisa nova para colocar no ar”. Também tem espaço para venda de camisas com a marca da casa.

A maior dificuldade de quem tem um espaço na grande rede não chega nem perto do Pagode do Didi. O site é recheado de anunciantes, dos mais criativos possíveis.

SERVIÇO
Endereço do site: www.pagodedodidi.com.br

Publicado originalmente em 17.11.05

Random Posts

  • Terceira Edição – História sobre todos e sobre ninguém « Pop up!

    Recife tem uma peculiaridade no que diz respeito à música pop. A cidade é tão dominada pelas bandas covers – […]

  • Pop up!

    Agosto 1, 2007 | Author: Bruno Nogueira | Arquivar em: Blog Voltei. O blog ficou meio burocrático enquanto tento me […]

  • Trabalho sujo « Pop up!

    Da coluna Ressaca. Publicada no site Giro Cultural Fui ameaçado de morte semana passada. Pense numa semana complicada. Começou num […]

  • OMB « Pop up!

    Sep 24, 2007 9 Comentários A assessoria de imprensa do Tim Festival é uma das mais legais de todas. Sabe […]