Festivais « Pop up!

ABRIL PRO ROCK | PE

Um dos mais antigos e importantes festivais de música independentes do país. Idealizado em 1992, o evento foi fio condutor para o movimento manguebit, que lançou bandas como Chico Science, Nação Zumbi e Mundo Livre S/A. Já trouxe para a cidade nomes como Placebo, The New York Dolls, Bad Brains, Marky Ramone, Sepultura, Mutantes, além de ter lançado novos nomes locais como Volver, Vamoz e Amp. É filiado à Abrafin.

Acontece sempre em três dias. Um deles geralmente dedicado a bandas de heavy metal, grande público do festival. Em sua edição de 2008, mudou de lugar pela terceira vez, saindo do Centro de Convenções e passando a acontecer no Chevrolet Hall.

NdE: Em 2008, fui convidado junto a Guilherme Moura, do RecifeRock, para fazer curadoria das bandas independentes do festival.

Produção: Astronave Iniciativas Culturais
Cobertura: 2004 | 2005 | 2006 | 2007 | 2008

[ Mais sobre o festival ]

BANANADA | GO

O segundo, e mais novo, festival produzido pela Monstro Discos, de Goiânia. Em 2008 o Bananada completou 10 anos definindo sua programação apenas com bandas novatas. As atrações do evento são as próprias bandas da cidade, como Violins, Mechanics e MQN. Já lançou no circuito nomes como Curumim, Cérebro Eletrônico e Mallu Magalhães. É filiado à Abrafin.

Acontece durante três dias no Centro Cultural Martim Cererê. Costuma ter o número gigantesco de 42 bandas, numa maratona que não é delimitada por gêneros. Numa noite você pode ver uma banda folk e outra de noise.

Produção: Monstro Discos
Cobertura: 2008

[ Mais sobre o festival ]

BOOMBAHIA | BA

Principal festival de rock de Salvador – por lá também tem o Palco do Rock – chegou a passar quase 10 anos parado entre a segunda e terceira edição. Em seu novo formato, é um grande valorizador da forte cultura de festas da cidade e sempre intercala bandas com DJs locais. Passaram por lá Wander Wildner, Cascadura, Retrofoguetes e os DJs El Cabong, Janocide, Novelli, Bhramz, etc. É filiado à Abrafin.

Acontece durante dois dias na praça Teresa Batista, no Pelourinho. Mistura os shows com feiras de moda e exposições. Recebe uma média 5 mil pessoas para ver cerca de 20 DJs e 13 bandas.

Produção: Aparelho Cultural / Bit Media

[ Mais sobre o festival ]

CALANGO | MT

Também chamado de Festival Calango de Artes Integradas, é considerado um dos mais importantes do circuito independente do país. Principalmente após algumas das novas bandas mais relevantes do país virem da região do Mato Grosso, como Vanguart e Macaco Bong. Já levou as bandas Cabaret, Terminal Guadalupe e Debate ao centro-oeste do país, além de dar destaque a cena local na imprensa especializada de todo o país. É filiado à Abrafin.

Por ser articulado por uma cooperativa, o Calango acontece durante dois meses inteiros. Começa com ações de formação de público nas escolas e palestras direcionadas, encerrando com três dias de shows.

Produção: Espaço Cubo
Cobertura: 2008 (breve)

[ Mais sobre o festival ]

DEMO SUL | PR

Criado em 2001 com a vontade de colocar a cidade de Londrina no mapa do rock nacional. Além dos shows, organiza o Simpósio de Música Independente, com debates e conferências entre profissionais da área. Sua programação já trouxe nomes como Rogério Skylab, Edgard Scandurra e Forgotten Boys. Aproveita para descentralizar a produção do Paraná para além de Curitiba, com bandas de várias regiões vizinhas. É filiado à Abrafin.

São três dias de shows na Chacara Lima, Estrada do Limoeiro, com uma média de nove bandas por dia. O festival sempre lança um CD com músicas das bandas que tocaram que recebe divulgação nacional.

Produção: Braço Direito

[ Mais sobre o festival ]

DOSOL | RN

Apesar do pouco tempo de vida – começou em 2005 – o festival DoSol já é um dos mais respeitados do circuito independente. Mérito de um produtor que conseguiu realizar uma edição inteira sem patrocínio nenhum. O foco é estritamente bandas independentes, inclusive entre as atrações principais. Encerram as noites nomes como Mundo Livre S/A, Matanza, Autoramas e Rock Rocket. Além do amplo espaço a cena local, que compõe boa parte da programação. É filiado a Abrafin.

O festival dura três dias, com cerca de 40 bandas na programação inteira. Traz para o Nordeste o modelo do Bananada e, no lugar de grandes palcos, ocupa duas áreas fechadas, dentro de uma maior de circulação.

Produção: DoSol
Coberturas: 2005 | 2006 | 2007 | Warm up 2008

[ Mais sobre o festival ]

ELETRONIKA | MG

Começou em 2000 e já trouxe atrações bem bacanas para Belo Horizonte, como Mogwai e LCD SoundSystem. Também anuncia uma nova cena de músiac eletrônica no país, com nomes como Boss in Drama. Foi o primeiro festival independente a incorporar festas em sua programação e, na edição 2007, recebeu a paulista Gente Bonita. É filiado à Abrafin.

Acontece geralmente em dois dias no Chevrolet Hall e Roxy. Além dos shows, o festival também promove debates e workshops.

Produção: Malab

[ Mais sobre o festival ]

EVIDENTE | RJ

Novo nome do antigo “Algumas Pessoas Tentam te Fuder”. Principal festival independente do Rio de Janeiro. É um evento que valoriza o momento ao vivo, por isso todas as bandas convidadas tocam músicas inéditas no repertório ou fazem jam sessions exclusivas e tributos, criando uma atmosfera exclusiva para o público. Já tocaram lá Mallu Magalhães, Pelvs, Jens Lekman e Grenade. É filiado à Abrafin.

Acontece em três dias, divididos em dois palcos. O Teatro Odisséia, que tem lotação de 600 pessoas, e o Cinematheque, para 200.

Produção: Midsummer Madness

[ Mais sobre o festival ]

FEIRA DA MÚSICA | CE

Primeira feira de negócios do Brasil – começou em 2002 – e não tem o foco principal nos shows. O evento reúne, além de bandas e público, representantes de gravadoras, lojas de instrumentos e de música, entre outros agentes da cadeia produtiva. Traz uma programação com mais de 60 artistas, cerca de metade deles de Fortaleza. É filiado à Abrafin.

São, em média, cinco à sete dias de eventos, contando todas as ações que envolvem a feira. O foco central são as rodadas de negócios, mas também tem shows, palestras e workshops. Por ser muito grande, acontece em vários pontos de Fortaleza.

Produção: Prodisc

[ Mais sobre o festival ]

GOIÂNIA NOISE | GO

Um dos mais antigos e influentes festivais independetes do país. Não é difícil ver a programação de outros eventos do tipo procurarem por bandas atentas ao que se apresentou no Noise. Existe desde 1994 e fortaleceu a fama de maior cidade rockeira do país à Goiânia. Já passaram por lá Pelvs, Mundo Livre S/A, Pato Fu, Battles, Pata de Elefante, além dos principais nomes locais, como Mechanics, Johnny Suxx, MQN e Violins. É filiado à Abrafin.

São três dias de shows no Centro Cultural Oscar Nyemeier, um imponente complexo construído em Goiás. Promove debates e palestras, além de sediar uma das reuniões anuais da Abrafin.

Produção: Monstro Discos
Coberturas: 2007

[ Mais sobre o festival ]

GRITO ROCK AMÉRICA DO SUL | BR

O Grito Rock não é um festival propriamente dito. É, na verdade, a reunião de vários festivais que acontecem no Brasil durante o mês de fevereiro, próximo ao Carnaval. Como uma ação integrada, ganha destaque como a maior articulação rocker a acontecer em território nacional. A enfase é principalmente na região Centro Oeste, onde estão os organizadores da idéia. É filiado à Abrafin.

Não é fácil mensurar quantos dias abrangem o Grito Rock, já que a lista de festivais participantes costuma variar a cada ano. Algumas cidades, como João Pessoa e Natal, costumam ter edições próprias do Grito, sem necessariamente estar associado a nenhum festival.

Produção: Fora do Eixo

[ Mais sobre o festival ]

HUMAITÁ PRA PEIXE | RJ

Tradicional festival carioca que acontece desde 1993. Tem um formato diferente dos outros eventos do tipo e costuma mobilizar várias áreas da cidade, se divindo entre cerca de quatro endereços diferentes ao longo de 28 dias. São cerca de 40 bandas, com enfase na descoberta de novos talentos. Gente como Jonas Sá, Vanguart, Macaco Bong, Fino Coletivo, Maquinado e Roberta Sá passaram por lá. É filiado à Abrafin.

O festival dura quase um mês inteiro. Além dos shows, que acontem na Sala Baden Powell, Cinemathèque e Bar Mofo, tem também workshops, palestras e uma plataforma apenas para lançamentos de discos.

Produção: Pilastra

[ Mais sobre o festival ]

JAMBOLADA | MG

Apesar da primeira edição ter sido ainda em 2005, o Jambolada já é considerado o maior festival independente de Minas Gerais (O Campeonato Mineiro de Surf é focado principalmente em Surf Music, enquanto esse é mais abrangente). Surgiu de uma necessidade de integrar o estado no cenário de festivais, dando mais relevâncias para que nomes locais passassem a circular nacionalmente. Já tocaram lá Nação Zumbi, Superguidis, Móveis Coloniais de Acajú e Los Porongas. Entre as locais, The Dead Lovers Twisted Hearts, Super Hi Fi e Falcatrua. É filiado à Abrafin.

São dois dias de shows no Acrópole e mais um, gratuito, na praça Sérgio Pacheco. Geralmente acontece no mês de setembro e tem também palestras e workshops.

Produção: Artes Ao Vivo

[ Mais sobre o festival ]

MADA – MÚSICA ALIMENTO DA ALMA | RN

Mais antigo festival de Natal e considerado também um dos mais importantes do país. Acontece desde 1998 e faz uma mistura incomum – senão exclusiva – entre os festivais independentes de misturar as bandas novas com nomes do mainstream do pop nacional. Além de nomes como Superguidis, Astronautas, Columbia e Cabaret, tocaram no Mada O Rappa, Nando Reis e Paralamas do Sucesso. Tem quem torça o nariz, mas a mistura garante um público muitas vezes superior a 6 mil pessoas por dia.

São três dias de shows na Arena do Imirá, uma faixa de terra na praia do Rio Grande do Norte, que colabora para o visual único do evento. Também promove uma mostra de curtas-metragem.

Produção: Jomardo Jomas
Cobertura: 2005 | 2006 | 2007

[ Mais sobre o festival ]

MOSTRA INTERNACIONAL DE MÚSICA EM OLINDA | PE

Se formos considerar os festivais independentes livre de definições de gênero, talvez o MIMO possa ser situado com o mais imponente e refinado evento de música do país. O festival, de música instrumental de câmara, movimenta a cidade inteira de Olinda e traz artistas do mundo inteiro para se apresentar em um das 20 igrejas históricas da cidade. Uma associação entre música e turismo até então inédita, similar talvez com o que acontece no South by Southwest no Texas. Nomes como Egberto Gismonti, Isaac Karabitchev, Hamilton de Holanda e Vitor Araújo estiveram na programação. É filiado à Abrafin.

O festival dura, em média, sete dias. É organizado desde 2004, ocupando as várias igrejas históricas de Olinda. Assim, a música de câmara é apresentada em seu ambiente original. Também promove workshops e palestras.

Produção: Lumearte

[ Mais sobre o festival ]

FESTIVAL MUNDO | PB

Apesar de ser um estado que tem tradição em exportar bons nomes da música brasileira – Cabruêra, ChicoCorrêa, Totonho e os Cabra e Zefirina Bomba, para citar alguns – ainda não tinha uma presença relevante em termos de festivais. O Festival Mundo surgiu para corrigir isso e inserir a cidade na rota dos eventos. Um ponto importante, é que João Pessoa agora passa a conectar o circuito PE – PB – RN – CE. Com enfase em destacar nomes locais, já passaram por lá Vamoz, Ecos Falsos, Star 61 e Matiz, entre outros.

São dois dias de shows no centro histórico de João Pessoa. Uma área à céu aberto, com um grande palco, numa referência bem próxima a woodstock. Além dos shows, tem palestras, workshops, feira de negócios e lounge com DJs.

Produção: BigBang Produções

[ Mais sobre o festival ]

NO AR: COQUETEL MOLOTOV | PE

É o festival mais novo do Recife, mas o tempo não foi problema para ele ganhar tempo e se tornar um dos mais relevantes. O No Ar tem uma programação atenta a nova cena indie internacional e já trouxe para o Nordeste os shows de bandas como Teenage Fanclub e The Kills. Além de fazer a ponte nacional dando oportunidade dos recifenses assistirem Pelvs, Toni da Gatorra, Valv e Elma. Engloba também a Invasão Sueca, trazendo bandas do país para tocarem no Brasil.

São sempre dois dias de shows no teatro da Universidade Federal de Pernambuco. Antes disso, promove mostra de vídeos, exposições e debates/palestras. Na área do show também tem feirinha de moda e selos independentes.

Produção: Coquetel Molotov
Cobertura: 2005 | 2006 | 2007

[ Mais sobre o festival ]

PORÃO DO ROCK | DF

O Porão do Rock é considerado um dos maiores festivais independentes do Brasil em estrutura. Sua escolha por atrações internacionais aproxima o formato do evento aos grandes festivais corporativos de música, só que muito mais atento a cena nacional. O Porão já levou a capital do Brasil nomes como Suicidal Tendencies, Muse, Sepultura, Mudhoney, Bellrays e as nacionais Moptop, Macaco Bong, Dance of Days, Vamoz! e as locais Móveis Coloniais de Acajú, Lucy and the Popsonics e Supergalo. É filiado à Abrafin.

Acontece durante dois dias no Estádio Mané Garrincha, em Brasília. Promove também debates com convidados de outros estados e, todos os anos, seletiva de bandas iniciantes.

Produção: Forrock Promoções e Qu4tro – Lucas Falcão

[ Mais sobre o festival ]

PONTO.CE | CE

Um dos festivais mais novos do Nordeste, o Ponto.CE nasceu de carona com o potiguar DoSol. Apesar disso, sempre teve a preocupação de também montar parte exclusiva de sua programação. Existe desde 2002 e já trouxe para Fortaleza nomes como Massacration, Jason, Matanza e Violins. Das locais, passaram por lá Joseph K, Karine Alexandrino e Fossil, entre outros. É filiado à Abrafin.

São três dias de shows no Centro Cultural Dragão do Mar, com cerca de 30 bandas se apresentando em Fortaleza. Também realiza prévias com shows de bandas locais e de fora no Hey Ho Rock Bar.

Produção: Hey Ho Rockbar e Empire Records

[ Mais sobre o festival ]

PRIMEIRO CAMPEONATO MINEIRO DE SURFE | BH

Você não leu errado. Não existe praia em Belo Horizonte, mas o Primeiro Campeonato Mineiro de Surfe já acontece desde 2008 na cidade. Um dos eventos de música independentes mais originais do país, é focado principalmente em Surf Music e música instrumental, com abertura para outras bandas do cenário nacional. Já levou a Minas Gerais nomes como Retrofoguetes, Surfadelica, Fossil, Autoramas e Nação Zumbi, entre outros. É filiado à Abrafin.

São quatro dias de shows no bar A Obra Bar Dançante e Lapa Multishow. Também promove um ciclo de palestras batizado de “A Onda Independente”.

Produção: A Obra

[ Mais sobre o festival ]

REC-BEAT | PE

Um dos principais motivos para a diversidade do Carnaval de Pernambuco está neste festival. Desde 1995, o palco pop da folia de Momo já trouxe alguns dos momentos mais históricos da música local, como shows do Mudhoney, Karnak, Turbo Trio, além de toda geração que formou a identidade da música pernambucana. Nação Zumbi, Mundo Livre, DJ Dolores, Otto e etc, tiveram shows memoráveis no Carnaval graças ao Rec-Beat. É filiado a Abrafin.

Dura todo o Carnaval, por isso são cinco dias de shows. Apesar de já ter mudado algumas vezes de lugar, ele sempre acontece no bairro do Recife Antigo (com exeção das primeiras edições em Olinda).

Produção: Rec-Beat Produções

[ Mais sobre o festival ]

Próximos

Vaca Amarela
Varadouro

Random Posts